quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Zona Franca de Manaus teve ano sólido, segundo Thomaz Nogueira
Conseguimos
O superintendente da Zona Franca de Manaus, Thomaz Nogueira, concedeu entrevista coletiva na sede da SUFRAMA. Além de apresentar um balanço do modelo ZFM em 2012 – seu primeiro ano à frente da autarquia – e discutir perspectivas para o próximo ano, o superintendente discorreu sobre outros assuntos estratégicos, como concurso público, ações de promoção comercial, atração de investimentos e Processos Produtivos Básicos (PPBs). Segue abaixo um resumo dos principais assuntos abordados.


Ano sólido
Nogueira definiu o ano da Zona Franca de Manaus como “sólido”, mas lembrou que o modelo, assim como a economia brasileira, não esteve imune ao cenário externo adverso e sofreu também com pressões exercidas pela economia chinesa. Ele apontou que 2012 iniciou com dificuldades pontuais no Polo de Duas Rodas e no Polo de Condicionadores de Ar, mas afirmou que, no geral, as medidas efetivadas pelo Governo Federal e pela SUFRAMA, com apoio do Governo do Estado e da bancada amazonense no Congresso Nacional, foram providenciais para que as empresas do Polo Industrial de Manaus (PIM) tivessem segurança para continuar investindo e produzindo na região. “Ao longo do ano permanecemos atrativos, o que pode ser sinalizado a partir das reuniões do CAS, que foram todas realizadas conforme a programação e nenhuma com menos de 30 projetos, mantendo níveis regulares de geração de empregos. Isso significa que os investidores continuam olhando para o PIM como ambiente positivo para negócios”, disse Nogueira.
Números em alta
O faturamento global do PIM em reais deve superar R$ 70 bilhões e ser recorde neste ano, mas por conta da variação cambial, deverá apresentar queda na comparação em dólar com o ano passado. No entanto, segundo o superintendente, os indicadores mais contundentes para avaliação do desempenho são a produção física e a geração de empregos, áreas em que, em sua avaliação, o PIM foi muito bem em 2012. Ele destacou o forte crescimento na fabricação de itens estratégicos, como televisores, condicionadores de ar do tipo split system, bicicletas, celulares e até mesmo bens de informática, e ressaltou também a média mensal próxima a 120 mil empregos diretos gerados ao longo do ano. “Foi um ano bom do ponto de vista econômico que poderia ter sido excepcional se o setor de Duas Rodas tivesse apresentado um melhor desempenho. No geral, estamos satisfeitos”.
Recuperação de Duas Rodas
O superintendente da SUFRAMA voltou a afirmar que as dificuldades do Polo de Duas Rodas não foram advindas de questões estruturais da ZFM, mas sim do modelo de negócios desse segmento, fundamentado em financiamentos e ações de crédito. Nogueira afirmou que a autarquia trabalhou intensamente com o MDIC na articulação e na promoção de medidas de fortalecimento para o setor, as quais ajudaram a estancar a crise e possibilitaram uma retomada progressiva da produção. Ele lembrou também a medida do Governo do Estado de estender a isenção de ICMS sobre energia elétrica para fabricantes de Duas Rodas e disse que a SUFRAMA prorrogou, até junho do próximo ano, a redução em 50% da Taxa de Serviços Administrativos (TSA) incidente para empresas do setor.
De olho no mercado externo
Nogueira também comentou sobre a intenção da autarquia de estreitar relações com mercados de países vizinhos, o que vem sendo feito a partir da busca de acordos e entendimentos bilaterais que privilegiem trocas comerciais envolvendo produtos fabricados no PIM e insumos estratégicos. “Temos que buscar mais o mercado externo, pois somente a América do Sul consome mais de dois milhões de motocicletas, portanto, é um mercado bastante interessante para as empresas do PIM”, afirmou. Ele citou principalmente a Venezuela como potencial parceiro, mas afirmou que Peru, Equador e Colômbia também estão na mira das ações da SUFRAMA, visando não apenas ao intercâmbio de produtos, mas também à promoção de soluções logísticas para empresas regionais.
Apoio do Governo Federal
O apoio dado pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) durante este ano à gestão da SUFRAMA também foi ressaltado pelo superintendente Thomaz Nogueira. Além da presença constante do secretário executivo do MDIC, Alessandro Teixeira, nas reuniões do Conselho de Administração da SUFRAMA (CAS) e em visitas a empresas locais, ele apontou a maior agilidade na discussão e publicação de Processos Produtivos Básicos (PBBs), o que resultou na atração de novos investimentos e a diversificação de segmentos no PIM, com destaque para os setores de energéticos e medicamentos. “Fecharemos o ano com aproximadamente 90 PPBs definidos contra 52 em 2011. Esse indicador mostra a grande evolução nessa questão”, comemorou.
Setor componentista
A SUFRAMA também está buscando formas de resguardar e fortalecer o setor componentista do PIM, segundo o superintendente Thomaz Nogueira. Ele apontou que atualmente estão sendo discutidas alterações nos PPBs de condicionadores de ar do tipo split system, televisores com tela plana, telefones celulares e motocicletas, a fim de identificar de que forma novas regras produtivas podem ampliar a competitividade das empresas que fabricam componentes no polo.
Concurso em 2013
De acordo com Nogueira, a SUFRAMA deve realizar concurso público no primeiro bimestre de 2013 inicialmente para contratação de 150 servidores, o que irá reforçar os defasados quadros da instituição. O superintendente informou que há um Projeto de Lei tramitando no Congresso Nacional a fim de ampliar o quantitativo de vagas a ser oferecido no certame, mas que a intenção da autarquia é realizar o concurso público o mais breve possível, mesmo que o número de vagas não seja de fato ampliado. “Estamos também em um processo de discussão para alinhar a tabela salarial dos servidores da SUFRAMA à que existe hoje no MDIC, ministério ao qual estamos vinculados. Hoje, a SUFRAMA tem uma das tabelas com um dos menores níveis de vencimento na esfera do ministério. Não sabemos ainda se isso vai ser possível antes ou depois do concurso, mas iremos buscar formas de garantir melhorias na remuneração para os servidores da autarquia”, destacou.
Perspectivas otimistas
O superintendente Thomaz Nogueira se disse bastante otimista para 2013 e fez uma previsão de que o PIM continuará crescendo em setores estratégicos, além de apresentar recuperação nos segmentos que tiveram dificuldades em 2012. “Não há nada no cenário que indique recuo. Onde há problemas teremos recuperação e há um conjunto de bens que estão crescendo e que devem seguir nessa trajetória”, apontou. Ele afirmou que o segmento de tablets deve ser um dos maiores destaques do próximo ano e que o mercado de televisores estará ainda mais aquecido pela proximidade de eventos como a Copa das Confederações e a Copa do Mundo de 2014.


2 comentários:

RADIALISTA EDSON CHAVES disse...

Quero registrar com muita honra as minhas parabenizações ao Jornal EXTRA na pessoa do jornalista Haroldo Furtado,que durante anos a fio tem desenvolvido em nosso estado do Amazonas uma COMUNICAÇÃO salutar junto a nossa sociedade com notícias no formato de fácil compreensão.

Atenciosamente

Radialista Edson Chaves

RADIALISTA EDSON CHAVES disse...

Quero registrar com muita honra as minhas parabenizações ao Jornal EXTRA na pessoa do jornalista Haroldo Furtado,que durante anos a fio tem desenvolvido em nosso estado do Amazonas uma COMUNICAÇÃO salutar junto a nossa sociedade com notícias no formato de fácil compreensão.

Atenciosamente

Radialista Edson Chaves